Sangrias é lançado no Festival Serra Maestra

Publicação sobre aborto teve financiamento coletivo e conta com 45 autores de quatro países latinos

“Sangrias não é um livro. Sangrias é um veículo, um meio, uma forma de poder circular outras sensibilidades em relação à prática abortiva” A definição consta na “Apresentación” da publicação, produzida por financiamento coletivo pela Editora Pedregulho e que será lançada no Festival Serra Maestra - Arte Cultura e Resistência da América Latina, que acontece neste sábado (17) no Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo, na Serra.

A obra é escrita em português e espanhol, pois conta com mais de 45 autoras de quatro países – Brasil, Argentina, Honduras e Venezuela – incluindo não só mulheres cis, mas também homens trans e cis. Autoras – aqui usando o feminino como gênero universal, no lugar do masculino usual – que tecem múltiplos olhares e sentires sobre o tema, por meio de textos, poesias, ilustrações e fotografias. 

“Desde a concepção, passando pelo financiamento e pela publicação, não estivemos nunca sozinhas. Gestamos coletivamente, parimos irmanadas e abortamos em manada”, contam as organizadoras, a argentina María Antonella Barone e a capixaba Beatriz de Barros Souza, integrantes do Grupo de Estudos sobre Aborto da Universidade Federal do Espírito Santo (GEA/Ufes).

“Por congregar essas múltiplas linguagens, o e-book abre as possibilidades de ressignificar os afetos em torno da prática abortiva, ainda tão permeados da situação de ilegalidade na região da América Latina”, comenta Beatriz.

“Fazer parte do Festival é essencial, porque a luta que se trava nesse campo é conjunta de todos os povos latino-americanos, independentemente das peculiaridades em torno da legislação de cada país”, afirma a acadêmica.

Vidas

Beatriz enfatiza que o lançamento do e-book – a versão impressa ainda não tem data para sair, mas o pdf já está disponível para download gratuito no site da Editora Pedregulho – não significa a conclusão do projeto, mas sim o contrário, o início de um ciclo de vida.

Ou, como definem na Apresentación, “este projeto não termina com a escrita e a publicação, mas continua gerando oportunidades de trocas e encontros potentes, cosendo redes para perpetuar as conversas e para que mais vidas sejam vistas, vividas e ouvidas”.

Festival

O lançamento no Festival será por meio do “Sarau Sangrias: Poemas para prenhar o silêncio", que tem início às 16h, com recital de poesias, seguido de bate-papo sobre a temática do aborto.

O evento é gratuito e a programação acontece de 13h às 21h, com lançamento de outros três livros, além de música, dança, teatro, artesanato, comidas e bebidas típicas, rodas de conversa e cinema, com lançamento do filme premiado Espero Tua (Re)Volta, da capixaba Elisa Capai.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

‘Precisamos falar sobre aborto’, convida Fórum de Mulheres do Espírito Santo

Fomes promove roda de conversa sobre descriminalização da prática, como um aspecto de saúde pública

‘Sangrias, um livro sobre aborto’ tem campanha de financiamento colaborativo

Co-criado por dezenas de autores, livro será lançado pela editoria capixaba Pedregulho

Ato pela legalização do aborto será realizado na segunda-feira em Vitória

Com o grito ''Nossa hora de legalizar o aborto'', evento se concentrará em frente à Assembleia