Secretaria de Educação marca prova do Paebes no Dia da Consciência Negra

Fórum Estadual de Juventude Negra repudia racismo institucional e denuncia desrespeito à Lei 10.639

O Fórum Estadual de Juventude Negra do Espírito Santo (Fejunes) veio a público, nesta segunda-feira (12), manifestar repúdio à Secretaria de Educação do Espírito Santo (Sedu) pela ação de marcar a prova do Programa de Avaliação da Educação Básica do Espírito Santo (Paebes 2018) justamente para o dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra.

Neste mesmo dia, a partir das 14h, entidades do movimento negro capixaba realizam uma marcha, saindo de frente da Casa Porto (Centro de Vitória) em direção ao Palácio Anchieta, com o objetivo de, além de gritar contra extermínio da juventude negra, denunciar o racismo institucional do governo do Estado que tem contribuído para este cenário. De acordo com a legislação em vigor, o Dia 20 de Novembro deve ser marcado nas escolas por ações que relembrem a história e a cultura africanas.

Representantes do Fórum ressaltam que o dia 20 de novembro é reconhecido nacionalmente como um dia de luta afro-brasileira e de resistência do povo negro, além de pautar a sociedade sobre a conscientização, enfrentamento ao racismo e importância das políticas afirmativas. 

Para o Fejunes, o posicionamento da Sedu pela manutenção da data da referida prova reflete racismo institucional, desprezo e boicote à Marcha. “No entanto, sabemos da importância de estarmos nas ruas e de marcharmos contra o extermínio em curso, que a cada 23 minutos deixa um corpo negro caído no chão e uma família negra despedaçada”, diz trecho da nota da Fejunes.

Desrespeito à Lei 10.639

“A Lei 10.639, aprovada em 2003, traz em seu artigo 79 a importância desta data ser registrada em todos os calendários escolares. Determina, ainda, uma semana de atividades diversas nesse sentido. Muito embora o dia definido no calendário acadêmico como Dia da Consciência Negra seja apenas o dia 20 de novembro (data que homenageia Zumbi e Dandara dos Palmares) reafirmamos que o tema deve ser trabalhado de forma contínua nos ambientes escolares e formativos”, explicou o Fórum na nota de repúdio. 

No Atlas da Violência 2018, evidenciou-se o aumento de 7,4% no número de assassinatos de jovens no Brasil em 2016. No país totalizaram 33,5 mil jovens vítimas da violência, sendo que o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência demonstra que um jovem negro tem 2,7 vezes mais chances de ser assassinado do que um jovem branco. 

“Aqui no Estado essa triste realidade é expressa e sentida pelos números e por todos os desafios diários que a juventude negra enfrenta: exclusão escolar, dificuldade de acesso ao mercado de trabalho, mobilidade urbana, entre tantas outras questõe. A Secretária de Educação do Espírito Santo, ao marcar para o dia 20 de novembro a realização da prova do Paebes, escancara  sua negligência em tratar o Dia da Consciência Negra nas escolas de sua rede, descumpre a Lei 10.639 e ainda limita a participação dos e das estudantes nas ações que marcam este dia de luta, de forma especial  na XI Marcha contra o extermínio da Juventude Negra, realizada há 10 anos por este Fórum com o apoio de diversos movimentos sociais”. 

A XI Marcha contra o Extermínio da Juventude Negra do Espírito Santo é um evento é produzido em conjunto com outros movimentos sociais e visa mobilizar a sociedade para cobrar medidas que possam reverter essa violência histórica, consolidando um processo de resistência em favor da transformação da realidade.

Sob o lema “Do luto à luta, o genocídio tem cor e endereço!”, a Marcha este ano promete reunir jovens da Grande Vitória, Aracruz, Santa Teresa e Colatina, além de pessoas de todas as cores, idades, credos e condições socioeconômicas que apoiem a causa. “Se você é antirracista, participe dessa marcha e dessa mobilização!”, explica Crislayne Zeferina, coordenadora do Fejunes.

Além da Marcha, várias outras atividades políticas, culturais e educativas estarão ocorrendo ao longo do mês. No último sábado (10), foi realizado o I Encontro Parem de Nos Matar, cujo objetivo era preparar um documento a ser entregue ao governador eleito, Renato Casagrande (PSB), com propostas para reduzir o extermínio. Em função das fortes chuvas, essa etapa foi transferida para dezembro. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Projeto 'Periferia Sobrevive' une formação política e geração de renda

Ações do Fejunes vão acontecer em bairros da Grande Vitória com foco nas mulheres jovens e negras

Abertas inscrições para Encontro Estadual da Juventude Negra

Em sua quarta edição, evento terá dois dias de atividades no quilombo Graúna, em Itapemirim

Atividades lembram mês da mulher negra latino-americana

Sarau, piquenique, cinema, slam e rodas de conversa marcam ações do movimento negro em julho

IV Encontro Estadual de Juventude Negra capixaba será realizado em Itapemirim

O evento acontecerá na Escola de Campo e Quilombola de Graúna nos dias 26, 27 e 28 deste mês