Sindialimentação discute violência contra a mulher com esquete e palestra

Evento enfatizou necessidade de denunciar agressões e da presença feminina na política e no mercado

A violência contra a mulher foi o tema do evento realizado nesta quarta-feira (13) pelo Sindicato dos Trabalhadores em Alimentação e Afins do Espírito Santo (Sindialimentação), em frente à portaria da fábrica da Garoto/Nestlé, em Vila Velha.



A manifestação contou com cartazes e palestras expondo dados sobre o feminicídio no Brasil e no Espírito Santo, estado que é o terceiro no ranking nacional e o primeiro no Sudeste. Este ano, segundo dados apurados pelo Sindialimentação junto à Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), já ocorreram seis casos.

Práticas como a culpabilização da vítima foram explicadas, sendo enfatizada a importância de denunciar as agressões. “Basta de violência contra a mulher. Por maior representação feminina no mercado de trabalho e na política. Pelo fim do feminicídio. É por isso que lutamos”, afirma Linda Morais, coordenadora geral do Sindialimentação.

Trazendo ainda mais dramaticidade ao evento, as modelos Thais Bonfim, Anielle Paola e Brunella Viana foram caracterizadas como vítimas de agressão pelo maquiador João Jesus.

Frases como “apaixone-se por você, pela vida, depois por quem você quiser” foram estampadas em camisetas sorteadas durante a manifestação.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
Matérias Relacionadas

Casamento da Moça Nestlé e o Garoto Capixaba é satirizado pelo Sindialimentação

Sátira é um dos atos da campanha pública do Sindialimentação na luta pelos direitos dos trabalhadores

MML divulga nota de repúdio contra casos de assédio sexual na Ufes

Movimento Mulheres em Luta reivindica “uma universidade livre de machismo”

Governo atende demanda judicial e cria comissão para o bairro Piedade

Mais de 40 famílias que deixaram o bairro precisam de apoio para moradia. Luta contra violência continua 

Novos assassinatos na Piedade expõem falta de diálogo para conter violência

Desde a intensificação da onda de violência, moradores pedem solução e paz para as comunidades