Sindicato e vereador pedem intervenção do Estado e do MPES na saúde de Cariacica

Pediatras do PA do Trevo pedem demissão e crianças ficam sem atendimento na unidade que deve funcionar 24h

Mais um dia de caos para a saúde de Cariacica. Na manhã desta sexta-feira (3), o setor pediátrico do Pronto-Atendimento (PA) do Trevo de Alto Laje amanheceu fechado pela segunda vez só este ano. Desde 2018, são sucessivos episódios de não funcionamento - tanto da ala pediátrica quanto de todo o PA - registrados para uma unidade que, de acordo com a legislação, deve manter suas portas abertas para atendimento durante 24 horas por dia. 

Diante do fato, o presidente do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo, Otto Baptista, e o vereador Professor Elinho (PV) pedem intervenção do Governo do Estado e do Ministério Público na saúde de Cariacica, comandada pelo prefeito Geraldo Luzia Júnior, o Juninho (PPS).

Um cartaz foi afixado na porta do PA informando que a unidade não funcionaria no plantão diurno, de 7h às 19h. O motivo seria a demissão em massa de cinco pediatras. De acordo a secretária de Saúde, Elizabeth Albuquerque, com os desligamentos, a escala médica desta sexta-feira (3) ficou comprometida para o dia. Ela afirma, no entanto, que o plantão noturno contará com quatro profissionais, e que 29 pediatras devem ser contratados até dia 7 de maio.

Fechamentos recorrentes

Desde 2018, o PA do Trevo de Alto Laje tem enfrentado sérios problemas para manter seu funcionamento como deveria, 24 horas por dia, com escalas completas de médicos. No dia 15 de abril, a pediatria ficou fechada durante toda a noite. O setor só foi reaberto às 7h20 do dia seguinte.

De acordo com o vereador Professor Elinho (PV), que vem constantemente denunciando ao Ministério Público do Estado a situação de descaso da Prefeitura de Cariacica em relação ao PA do Trevo, a partir de dezembro de 2018, quando o PA fechou todos os seus setores durante todo o dia, foram registrados outros quatro fechamentos totalmente do PA infantil. Além disso, fechamentos parciais de uma manhã ou noite somam mais de uma dezena.

“Estamos informando ao MP de Vitória os dois últimos fechamento do PA no processo 2018.0035.2824-41. Todos as vezes que o PA fica fechado, alimentamos este processo. Estamos acostumados a ver os PAs de outros municípios sempre lotados, mas Cariacica é o único município que fecha as portas integralmente. Estamos finalizando uma peça que solicita a intervenção do Estado no município de Cariacica”. 

Já o presidente do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo, Otto Baptista, afirmou que existe um caos na rede ambulatorial de Cariacica, que está em colapso. Segundo ele, toda a população de Cariacica tem no PA do Trevo de Alto Laje uma válvula de escape para atendimentos ambulatoriais de urgência e emergência num único lugar, incluindo adultos e crianças.  

Otto reforçou os motivos para demissão dos médicos, que inclui as seguintes causas: escalas furadas, sobrecarga de trabalho, falta de condições de trabalho, incluindo superlotação, improviso que transformou o PA em unidade hospitalar sem ser essa sua finalidade. Também desorganização administrativa, falta de resolutividade, violência física e psíquica ao qual os médicos estão sujeitos, além de baixos salários. 

O presidente do sindicato defende intervenção do Estado e do Ministério Público na Saúde de Cariacica.

Nota de repúdio

No dia 18 de abril, o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo já havia emitido uma nota de repúdio contra declarações do prefeito de Cariacica Geraldo Luzia Júnior, o Juninho (PPS), que, entre outros fatores, culpabilizou os médicos pela superlotação e atendimento precário no PA do Trevo. Nesse mesmo dia, pais e responsáveis que procuravam atendimento médico para suas crianças sequer conseguiam entrar na unidade superlotada. 

Na nota, os representantes do Sindicato dos Médicos alegaram que o prefeito expôs, publicamente em rede de TV aberta, uma fala surreal em que culpabiliza os profissionais médicos pela superlotação do PA do Trevo de Alto Lage. “O prefeito usou seu velho discurso, mentindo para população, com a finalidade de tirar o foco do real problema: a má gestão da Saúde de Cariacica. A verdade é que a maior parte dos problemas é resultado da péssima atuação do prefeito como gestor municipal e não de seus servidores”.

E completaram: “A verdade é que a gestão municipal nunca ofereceu condições de trabalho e segurança aos profissionais médicos que atuam em suas unidades de saúde”.

A nota da entidade sindical que representa os médicos também criticou o processo de terceirização do PA do Trevo de Alto Laje. “Juninho já deixou claro que seu intuito é o de terceirizar a saúde pública de Cariacica. Mas será que essa atitude vai melhorar a situação? Sabemos que, até agora, nenhum hospital do Estado que passou pelo processo de terceirização teve melhora positiva! Será que o 'prefeito sorriso' irá conseguir tal façanha? Quando Juninho fará o que é, de fato, de sua responsabilidade? Oferecer condições de trabalhos aos profissionais médicos, segurança 24 horas e remuneração digna? Enquanto o prefeito quer tentar mostrar que as coisas estão sob controle, a população e os servidores clamam por uma saúde de qualidade”. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Em nove meses, Estado chega a R$ 10 milhões de gastos com advogados dativos

OAB-ES comemora, mas entidades pedem valorização da Defensoria Pública, que está em apenas 26 cidades

Ministério Público vai destinar 20% das vagas de estágio para negros

O anúncio será feito durante o II Encontro da Juventude Negra com o MPES, nesta sexta-feira

Justiça anula decisão da Câmara de Ecoporanga e torna prefeito inelegível  

O prefeito Elias Dal Col foi enquadrado pela Justiça por infração à Lei de Responsabilidade Fiscal

Pela sexta vez, Justiça marca data para júri popular do caso Gabriela Chermont

O último julgamento foi cancelado em função de laudos da defesa de 2018. Nova data será em 1º de outubro