Sindimetal-ES vai acompanhar apuração de acidente na ArcelorMittal

Sindicato quer saber o que causou a explosão e vai exigir a adoção de novas medidas de segurança

Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos do Espírito Santo (Sindimetal-ES) estiveram na portaria da ArcelorMittal Tubarão nesta quinta-feira (14), em Vitória, para conversar com os metalúrgicos da Imetame. Nessa quarta (13), uma explosão deixou dois trabalhadores da terceirizada feridos.

O sindicato ouviu o relato dos trabalhadores, que contaram que houve uma sobrepressão numa bolsa coletora de condensado quando faziam manutenção programada em área operacional. Depois da explosão, eles foram enviados para hospitais da região. Até o momento, um foi liberado e outro ainda está em observação. Os representantes adiantaram aos trabalhadores que vão acompanhar a investigação sobre as causas do acidente e exigir que novas medidas de segurança sejam adotadas.

Segundo um dos diretores do Sindmetal-ES, Wesley Bonifacio Dias, representantes da entidade estiveram na empresa de manhã e de tarde e estão acompanhando o que causou a explosão, mas, por enquanto, a empresa não soube dar explicações mais concretas sobre o acidente.

"Nós, do sindicato, somos participantes da investigação. Inclusive eu, além de diretor do Sindicato, sou funcionário da Arcelor. Em relação ao ocorrido, estamos atuando e perto para descobrir a causa que veio a fazer com que a peça sofresse uma sobrepressão na linha de gás, mas ainda não conseguimos identificar o problema. Mas estamos apurando e vamos acompanhar toda a investigação", garantiu.

Os diretores do sindicato aproveitaram também para tratar assuntos relacionados ao tíquete alimentação. Embora a Imetame atue dentro do Complexo de Tubarão há mais de dois anos, a empresa está infringindo a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria e aplicando o benefício com o valor destinado às empresas que atuam fora dos grandes complexos.
 
Os metalúrgicos da ArcelorMittal Tubarão aceitaram a proposta da empresa de renovação do Acordo de Turno Ininterrupto de Revezamento. Com mais de 95% dos votos, os trabalhadores decidiram manter a escala de 4x4, com 12 horas. A votação aconteceu durante as assembleias realizadas entre os dias 4 e 5, na sede social do Sindimetal-ES, em São Diogo, na Serra.

Greve

No final de 2018, os metalúrgicos que atuam em prestadoras de serviços da ArcelorMittal Tubarão, além do Estaleiro Jurong e Vale, paralisaram suas atividades. Segundo representantes do Sindimetal-ES à época, a greve teve início após o Sindifer (Sindicato Patronal da categoria) ignorar o pleito dos trabalhadores e insistir na proposta de reajuste abaixo da inflação e na retirada de 19 cláusulas da Convenção Coletiva da categoria.

Cruzaram os braços cerca de 15 mil trabalhadores que atuam nos setores de manutenção dessas grandes empresas, como eletricistas, mecânicos, soldadores, operadores, técnicos em automação, instrumentistas e almoxarife. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Tatiane , quarta, 20 de fevereiro de 2019

    O nome da matéria é "Sindimetal-ES vai acompanhar apuração de acidente na ArcelorMittal". Duas linhas depois, vocês mudam de assunto falando do ticket de alimentação. O outro funcionário esta em observação? Resumindo, não se sabem de nada sobre o acidente e o funcionário como esta? ta andando? ta vivo?

Matérias Relacionadas

TST valida turno de 10h para quatro dias de trabalho na ArcelorMittal

Ainda longe da “jornada francesa”, de 8h, turno acordado é a melhor entre as opções dadas pela empresa

Maior acidente do setor petroleiro no Espírito Santo completa quatro anos

Explosão de navio-plataforma matou nove trabalhadores. Famílias alegam ainda não terem sido indenizadas

Conselheiro requer dados sobre multas e 'centro inédito de monitoramento'

Em requerimento a secretário de Vitória, Moreschi cita opinião de técnico sobre paralisação das poluidoras

ONG pede providências urgentes ao Iema para controlar aumento do pó preto

Emissões aumentaram nos últimos 12 meses - 294% em um ponto - e dispararam com a chegada do verão