Sindipúblicos cobra Ceturb sobre multas aplicadas às empresas

Irregularidades e reclamações no transporte coletivo levaram sindicato a exigir as informações

Face a inúmeras irregularidades e reclamações feitas diariamente pelos usuários que utilizam o sistema Transcol, o Sindicato dos Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos) encaminhou oficio à Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Espírito Santo (Ceturb) requerendo a divulgação detalhada das multas aplicadas às empresas de transporte. 

O Sindicato denuncia que a Ceturb não dá a devida transparência se efetivamente aplica os atos infracionais que são emitidos pelos seus trabalhadores contra as empresas.

Diz também que é de se ressaltar que, caso essas multas não estejam sido aplicadas e pagas, a Ceturb estaria cometendo grave crime por se negar a atuar efetivamente como agência reguladora. Esta omissão  causaria “prejuízos à população que fica à mercê das empresas de transporte e incorrendo inclusive em problemas financeiros, visto que as receitas das multas contribuiriam para o caixa da Ceturb”.

O Sindipúblicos é amparado pela Lei de Acesso à Informação. Com base na lei, o Sindicato requereu “a discriminação das multas aplicadas por essa Companhia às empresas de prestação de serviços de transportes públicos de passageiros na Grande Vitória nos últimos cinco anos;  Os comprovantes das respectivas quitações das multas aplicadas nos últimos cinco anos; e a descrição da forma de execução dos débitos das empresas em face da Ceturb/ES”.

Afirma ainda que diante ao retorno ou não das demandas solicitadas, encaminhará denúncia aos órgãos competentes, caso seja vislumbrado irregularidades. 

E ressalta que cabe à agências fiscalizadoras garantir uma atuação eficiente dos serviços no qual devem fiscalizar, e em caso de omissão, cabe inclusive dano moral aos usuários atingidos. O Sindicato cita recente decisão em que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi condenada a pagar R$ 50 mil a um usuário, devido omissão ao realizar as fiscalizações junto à Vivo.

O Sindipúblicos defende ainda que todas as multas dos órgãos fiscalizadores estaduais, como Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) e Ceturb, sejam divulgadas nos portais de transparência, com a devida publicidade para a sociedade.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Rodoviários decidem pelo fim da greve no sistema Transcol

Categoria aceitou proposta de conciliação da Justiça do Trabalho que dá garantias aos cobradores

Rodoviários paralisam atividades em protesto contra ônibus sem cobrador

Apesar de decisão da Justiça para manter 75% da frota circulando, a adesão é de 95%

Sindicato dos Rodoviários anuncia greve de ônibus para a próxima segunda-feira

"Sem cobrador não roda. Vamos parar tudo", avisa a categoria, que teme demissões com o novo Transcol

Rodoviários fazem novo protesto contra possível demissão de cobradores

Categoria teme que sistema do bilhete único nos ônibus com ar-condicionado dispense os profissionais