Tem pra todo mundo

Depois de Damares e Mourão, Ales homenageia casal Bolsonaro e ministros Moro, Guedes e Ernesto Araújo

Duas noites de festa e oba-oba na Assembleia; 148 pessoas homenageadas com a Comenda Domingos Martins - a mais alta honraria concedida pela Casa - e Títulos de Cidadania Espírito-Santense. Na extensa lista, apesar de ausentes à solenidade, viraram “capixabas” o presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle, e ainda os ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança), Paulo Guedes (Economia) e Ernesto Henrique Fraga Araújo (Relações Exteriores). Bolsonaro também levou a Comenda, concedida primeiro à ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, em visita que ocorreu em maio ao legislativo estadual e rendeu protesto dos movimentos sociais e muita polêmica. Logo depois, mesma honraria caiu no colo do vice Hamilton Mourão (PRTB), em outra agenda no Espírito Santo. Os atuais confetes ficaram por conta dos deputados estaduais do PSL, ex-partido de Bolsonaro, Capitão Assumção, Danilo Bahiense e Torino Marques, que aprovaram as indicações em plenário, apesar das controvérsias. No papel, a Comenda é – ou deveria ser – concedida a personalidades e instituições nacionais ou estrangeiras responsáveis por relevantes serviços à sociedade capixaba. Já o título de cidadania, a pessoas de fora do Estado que ajudam no desenvolvimento local. Na prática...bom, tire suas próprias conclusões.

Alto escalão
As indicações para as homenagens ao “time Bolsonaro” já eram conhecidas há alguns meses, restando só o “grande evento” reservado pela Assembleia para o final do ano. Assumção foi o autor dos títulos ao presidente, Moro e Ernesto Araújo; Bahiense quis incrementar e concedeu também a comenda a Bolsonaro, incluindo o título para Michelle; e Torino Marques ficou encarregado por Paulo Guedes.

Alto escalão II
No caso de Damares e Mourão, que receberam a homenagem em mãos, vale lembrar: os autores foram, respectivamente, o deputado Lorenzo Pazolini (sem partido) e Alexandre Xambinho (Rede). 

É cada uma...
Lá atrás, as indicações viraram palco de embate na Assembleia. Embora com escolhas bem distantes da unanimidade, um grupo de deputados achou por bem não aceitar o título de cidadão espírito-santense e a comenda ao ex-deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), nem o título ao líder do MST, João Pedro Stédile, como propôs a deputada Iriny Lopes (PT). Houve até recurso coletivo para tentar barrar as honrarias. 

É cada uma II...
Entre os oito parlamentares, os três das homenagens ao “time Bolsonaro”, Assumção, Torino e Danilo Bahiense; o da homenagem a Damares, Lorenzo Pazolini; e ainda Euclério Sampaio (sem partido), Carlos Von (Avante), Vandinho Leite (PSDB) e Marcos Mansur (PSDB). Iriny reagiu, pediu respeito, e defendeu a liberdade e a democracia.

Desfecho
A deputada não quis participar das sessões solenes desta semana, mas recebeu os títulos assinados para Jean Wyllis e Stedille. Já sobre a comenda, ainda não tem informações. Iriny pretende marcar outra data para a entrega das duas homenagens. 

Trio
Da linha de frente do governo do Estado, os escolhidos foram a vice-governadora Jaqueline Moraes (PSB), que recebeu a comenda, e os secretários de Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, e da Saúde, Nésio Fernandes, agora “capixabas”. Renato Casagrande, como se sabe, foi busca-los lá fora – Rio de Janeiro e Palmas - para compor sua equipe.

Nem bobo, nem nada
Tão logo foi divulgada, nesta quarta-feira (11), a decisão da Justiça que anulou a PEC da eleição de Erick e impediu a convocação de novo pleito, o deputado Fabrício Gandini (Cidadania) publicou em seu Facebook um pedaço da sentença, junto com o seguinte texto: “Justiça foi feita! Cai a PEC da Eleição Surpresa, viva a democracia! Parabéns à Justiça capixaba que impede esse retrocesso”. Rendeu curtidas, compartilhamentos e comentários em favor dele. Só tem um problema: Gandini não tem nada a ver com esse processo.

Nem bobo, nem nada II
A decisão é resultado do mandado de segurança assinado pelos deputados Dary Pagung (PSB), Sergio Majeski (PSB), Iriny Lopes (PT) e Luciano Machado (PV). Gandini protocolou uma ação no mesmo sentido, por meio do seu partido, mas ainda sem decisão. Querendo levar fama com bônus alheio, jura?

‘De olho’
Deputado federal que tenta sair do PSB após punição por posicionamento contrário à orientação partidária na reforma da Previdência, Felipe Rigoni será prestigiado por Casagrande em mais uma prestação de contas, nesta quinta-feira (12), às 19h30, no Instituto Federal do Estado (Ifes), em Vitória. A presença do governador no evento chamado “De olho no Rigoni”, é anunciada nas redes sociais.

Tranquilo, tranquilo...
O secretário de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Bruno Lamas (PSB), também presta contas na Assembleia nesta quinta-feira (12), sobre as ações de sua pasta referentes ao segundo semestre deste ano. Deputado licenciado, não deverá encontrar qualquer incômodo durante a apresentação, assim como ocorreu em junho. Aliás, Lamas está sumido... 

PENSAMENTO:
“Alguns [chefes] são considerados grandes porque lhes mediram também o pedestal”. Sêneca

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Declaração de ex-secretário que expõe perfil nazista do governo gera repúdio

'Alvim caiu porque não disfarçou. Contou o segredo', ironiza a atriz e poeta Elisa Lucinda

Apesar da crise, PSL no Estado nega debandada e aponta nomes para 2020

O ex-deputado Carlos Manato afirma que o partido terá candidatos em pelo menos 30 municípios

Educação: atos contra cortes do governo federal marcaram 2019

Também tiveram espaço em Século Diário educação popular e reações ao fechamento de escolas 

Medida Provisória de Bolsonaro não deve afetar eleições para a reitoria da Ufes

Atual vice-reitora, Ethel Maciel, venceu a consulta e encabeça a lista tríplice enviada a MEC