Tensões internas

Derrota em Irupi entra na lista de problemas do PSL. Ajuda da tropa Bolsonaro a Raphael Fonseca não ajudou

A derrota do PSL na eleição extemporânea de Irupi, região do Caparaó, realizada em maio deste ano, entrou na lista de problemas da legenda em campo nacional, eclodidos após a briga entre o presidente Jair Bolsonaro e o comandante nacional do partido, Luciano Bivar. Na esteira da polêmica, o jornal O Globo apontou rachas e conflitos relacionados às disputas municipais, preparações para 2020 e divisões dos recursos partidários para candidaturas e diretórios estaduais. Desde a posse do presidente, o PSL apresentou apenas sete candidatos em 43 eleições extemporâneas, ganhando somente duas. No bolo das perdas, o primeiro revés sofrido pelo presidente do partido no Estado, Carlos Manato, com a derrota à prefeitura de Irupi de Raphael Fonseca (foto) para Edmilson Meireles de Oliveira, do MDB - nem a ajuda da “tropa Bolsonaro” (deputada federal Soraya Manato e estadual Torino Marques), que por lá esteve na reta final do pleito, ajudou! Para além de tensões internas, os resultados negativos são considerados ameaças ao projeto do presidente de demarcar território em 2020, ampliando a presença de aliados em municípios por todo o País, já como caminho para a meta de reeleição em 2022. Manato está em campo para cumprir as próximas tarefas e já disse que não larga a mão de Bolsonaro, seja no PSL ou não. Mas, na prática, o desfecho do conflito pode alterar os palanques do partido em construção no Estado. Mesa do divórcio está cada vez mais tensa. E a pilha de louça suja só aumenta.

‘Prejú’
Problema de Bolsonaro ao trocar de partido, como deseja, é exatamente a bolada do fundo partidário e os detentores de mandato. Não poderá levar para a nova legenda os cerca de R$ 200 milhões previstos para 2020 e os parlamentares perderão os mandatos se saíram antes da janela partidária, que ainda está longe. Caso, por exemplo, da deputada federal Soraya Manato, que em meio à briga, fez coro ao marido: fica com Bolsonaro até o fim.

‘Prejú’ II
Ao manifestar apoio nas redes sociais a Bolsonaro, na semana passada, Carlos Manato disse que o PSL Espírito Santo está fortalecido e vai continuar o trabalho que tem feito. “Temos uma missão em 2020 e estaremos fortes para conquistar mais essa vitória”. A conferir!

Não pode
O plenário da Assembleia Legislativa chegou ao cúmulo das votações em regime de urgência na sessão dessa segunda-feira (14). Sempre acionadas em relação aos projetos do governo, desta vez, caiu até para proibição da ideologia de gênero, proposta pelo deputado estadual Vandinho Leite (PSDB). Um assunto desse, com uma pressa dessa? 

Não pode II
Depois de discursos de apoio do Euclério Sampaio (sem partido) e do pastor Marcos Mansur (PSDB), somente Iriny Lopes (PT) e Sergio Majeski (PSB) se posicionaram contra. Iriny apontou que a urgência não se justifica e que não existe esse termo, já Majeski que a matéria é inconstitucional e não há esse debate nas escolas. De fato, é cada uma...

Abono
O prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB), saiu na frente e anunciou, durante a tradicional Assembleia Popular, na noite dessa segunda-feira (14), a concessão de abono ao magistério no valor de R$ 2,1 mil pagos em três parcelas de R$ 700,00, a partir desse mês de outubro. Alguém mais?

Baixou a poeira
Dias depois de cancelar a agenda com a vice-governadora do Estado, Jaqueline Moraes (PSB), devido à sentença que determinou cassação do seu mandato, o prefeito de Conceição da Barra, Francisco Bernhard Vervloet (PSDB), o Chicão, voltou à rotina. Ele recebeu Jaqueline por lá na última sexta-feira (11), para solenidade de adesão ao Programa Agenda Mulher, novo carro-chefe da vice-governadora.

Baixou a poeira II
Chicão recorre da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), que o condenou por abuso de poder econômico nas eleições de 2016. Se seguir os mesmos passos do vizinho, prefeito de São Mateus, Daniel da Açai (PSDB), vai se segurando no mandato, pelo menos, até o ano que vem.

Direitos
Cumprindo prisão administrativa de 12 dias, o ex-presidente da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo (ACS-ES), sargento Renato Martins Conceição, conseguiu efeito suspensivo e passou o Dia das Crianças com a filha. Ele encerra sua pena total nesta terça-feira (15), em um caso que beira o absurdo. 

Censura
O militar foi condenado, veja só, pela veiculação de duas notícias do site da entidade, consideradas “desrespeitosas” ao ex-governador Paulo Hartung e ao então comandante-geral da PMES, Nylton Rodrigues, que depois virou secretário de Estado de Segurança Pública. Gestão da dupla fez muitos estragos nessa área, uma marca imbatível.

PENSAMENTO:
“Os fatos devem provar a bondade das palavras”. Sêneca

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Bancada 'em chamas'

Assumção declara guerra a Quintino e o acusa de “mão leve”, leia-se ''furto'' de indicações e projetos

Muro seguro?

Muitos capítulos depois, Carlos Manato avisa: ‘não vou entrar na briga de ninguém nem deixar o PSL’

Fogo cruzado

Guerra de listas do PSL deixa deputada Soraya Manato no olho do furacão nas redes sociais

Soraya Manato diz que o PSL teve candidato laranja nas eleições de 2018

A declaração da deputada Soraya Manato repercutiu junto à classe política e ganhou as redes sociais