Trabalhadores da Vale podem deixar de receber indenizações 

Segundo oposição, atual presidente do Sindfer sugeriu cláusula de resolução de conflitos 

A forte disputa interna entre o atual comando do Sindicato dos Ferroviários (Sindfer-ES/MG) e seus diretores continua com novos desdobramentos. Desta vez, a oposição acusa o presidente da entidade sindical, João Batista Cavaglieri, de sugerir item que pode prejudicar trabalhadores da Vale em futuras negociações: a resolução de conflitos. 

De acordo com Wagner Xavier, atual diretor e também líder da Oposição Movimento da Categoria - informação também divulgada no jornal Oposição Ferroviária - Cavaglieri propôs na pauta de reivindicação entregue à empresa Vale a criação de uma cláusula de resolução de conflitos, o que, de acordo com a oposição, pode livrar a mineradora de pagar indenizações aos trabalhadores, uma vez que dificultará a judicialização dos casos trabalhistas. Ainda de acordo com a oposição, o atual presidente do Sindfer teria redigido a cláusula sem consultar os ferroviários e os demais diretores do Sindicato. 

A oposição também tem participado das assembleias da categoria para contrapor informações divulgadas pelo atual presidente. Segundo a oposição, João Batista Cavaglieri estava ocultando pontos da minuta do Acordo Coletivo de Trabalho apresentado pela Vale ao sindicato. Além da cláusula de resolução de conflitos, outras trazem prejuízos aos trabalhadores em áreas como faixas salariais, adicionais de insalubridade e noturno, banco de horas, entre outros pontos.

Calúnia

Em outubro deste ano, diretores do Sindicato dos Ferroviários que fazem oposição ao atual presidente da entidade, João Batista Cavaglieri, se disseram caluniados no próprio jornal interno da entidade, que, segundo eles, tem sido usado para difamar e caluniar diretores que divergem da atual gestão. O grupo afirma que, por esse motivo, já instaurou mais de sete processos contra Cavaglieri.

Wagner Xavier afirma que o jornal, que deveria ser usado como um importante meio de comunicação em favor dos trabalhadores ferroviários, passou a ser explorado como espaço para ataques pessoais do João Batista Cavaglieri contra os diretores, incluindo ele próprio, que não concordam com sua política sem transparência e antidemocrática. 

Ainda segundo os membros da oposição, em pleno período de Acordo Coletivo, João Cavaglieri utiliza nada menos do que 70% do espaço do jornal Raízes para a prática de calúnias e difamação contra o diretor Wagner Xavier e outros, além do integrante da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), Hector Scarpatt. 

“Negociar bons Acordos Coletivos que é bom, João deixa a desejar há anos”, afirmou Wagner Xavier, que completa: “O comportamento do presidente sindical tem causado muita estranheza entre os trabalhadores nesses últimos tempos. Acreditamos que João tem utilizado o ataque contra diretores opositores justamente para desviar o foco do ACT [Acordo Coletivo de Trabalho] ou, simplesmente, para achar um culpado por sua incompetência em negociar”. 

Por nota, o Movimento da Categoria informou que continuará exigindo democracia e transparência em favor dos ferroviários. Além dos inquéritos por conta das "mentiras caluniosas" publicadas no jornal Raízes, João Batista responde a ações judiciais por questões contábeis do sindicato.

O grupo da situação está à frente do Sindfer há 22 anos, liderado por João Batista Cavaglieri. 

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

Justiça concede liminar para que trabalhadores se expressem em assembleia

Decisão da Vara do Trabalho estipulou multa de R$ 100 mil para Sindfer e seu presidente, João Batista

Oposição denuncia presidente do Sindfer por calúnia em jornal da entidade

João Batista Cavaglieri é acusado de usar veículo de comunicação interno para difamar diretores

Diretoria se une contra presidente do Sindicato dos Ferroviários

João Batista Cavaglieri é considerado inoperante na defesa da categoria