Trabalhadores deflagram campanha para desmascarar reforma da Previdência

Miguel Madeira, Carlos Demetrius, Artur Sapão e Weslei Scooby integram o movimento contra a reforma

Reunidas na sede do Sindicato dos Técnicos Industriais do Espírito Santo (Sintec-ES) nesta segunda-feira (29), entidades de trabalhadores de áreas de risco, insalubres e periculosidade no Estado estabeleceram uma série de ações para desmascarar as “mentiras da reforma da Previdência e mostrar à sociedade os prejuízos que ameaçam a toda a população”.

Nesta terça-feira (30), redes sociais e as bases desses trabalhadores passarão a exibir vídeos com dados reais sobre a reforma, que teve o texto-base aprovado na Câmara dos Deputados este mês, e deve retornar para a aprovação no final  do mês de agosto. “Temos que fortalecer o movimento para impedir essa votação”, afirma Artur Sapão, do Sindicato dos Químicos e Papeleiros (Sinticel-ES). 

“Discutimos medidas alternativas, entre elas vídeos gravados com a participação do deputado federal Helder Salomão (PT), um dos dois parlamentares da bancada capixaba que votou contra a reforma, e a deputada estadual Iriny Lopes (PT)”, informa Weslei Scooby, do Movimento Ferroviário e um dos coordenadores dessa ação, que envolve dezenas de sindicatos e outras entidades classistas no Estado. 

No vídeo, Helder Salomão respondeu a perguntas dos sindicalistas e apontou medidas necessárias a fim de tentar reverter a situação. O deputado Sérgio Vidigal (PDT), também contrário à reforma, não pôde comparecer. 

“A sociedade não tem pleno conhecimento de como será a aposentadoria dos trabalhadores dessas áreas. Os vídeos que gravamos irão mostrar em cada base de trabalhador as particularidades de cada uma, por meio de dados reais”, comenta Weslei Scooby, do Movimento Ferroviário.  

As mensagens com os vídeos serão encaminhadas nesta terça às bases de trabalhadores, entre outras, das áreas de metalurgia, construção civil, vigilância, limpeza e higiene, portuária, que são submetidas às piores condições de risco e de insalubridade, em meio a ruído excessivo, óleo, graxa e outros materiais corrosivos. Esses trabalhadores têm direito à aposentadoria diferenciada. 

A reforma da Previdência tem gerado dúvidas e protestos, pois trouxe o fim das aposentadorias especiais para atividades de risco e insalubres, além de causar empecilhos nas demais categorias, impedindo em muitos casos que o trabalhador se aposente. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Especialista enumera pontos que geram principais perdas com nova Previdência

O advogado Marcelo Carvalhinho Vieira considera a reforma um retrocesso que atinge os trabalhadores

Rose de Freitas diz que reforma da Previdência é 'uma urgência que o país pede'

Parlamentar evitou se posicionar mais claramente sobre a proposta, que chegou ao Senado nessa quinta

Deputados apontam massacre à população de baixa renda com reforma da Previdência

O deputado Helder Salomão e a deputada estadual Iriny Lopes afirmam que privilégios serão mantidos

Maioria da bancada capixaba vota com o governo a favor da reforma da Previdência

O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação na madrugada desta quarta-feira