Transporte escolar leva mais alunos à escola reaberta em Muniz Freire

Comunidade de Menino Jesus se mobiliza para fortalecer a escola, fechada em 2018 por Paulo Hartung

Os alunos estão retornando à Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Maria Áurea Barroso, localizada na comunidade rural de Menino Jesus, a quase 20 km da sede de Muniz Freire, na região do Caparaó capixaba.

Fechada para o ano letivo de 2018 por Paulo Hartung, em função de uma escola viva instalada na cidade, a EEEM reabriu em seis de fevereiro último, cumprindo uma das promessas de campanha do governador Renato Casagrande (PSB), e já conta com quase 47 matrículas.

O início do funcionamento do transporte escolar, há uma semana, possibilitou a chegada dos alunos que residem mais distantes e ainda estavam impossibilitados de frequentarem as aulas. E muitos outros tendem a voltar ao longo deste ano, afirma o presidente da Associação de Desenvolvimento Comunitário de Menino Jesus (Adecomej), Tiago Lúcio da Silva, entidade que há quatro anos luta pela escola, quando começaram as ameaças de fechamento por Paulo Hartung.

“A tendência é de crescimento, porque o primeiro ano é o que tem maior número de alunos. Perdemos alguns alunos que se matricularam em outras escolas e ficaram em dúvidas se ia voltar mesmo aqui. Agora, aos poucos, os outros anos vão aumentando e vai voltando ao normal a realidade da presença dos alunos na escola”, avalia Tiago, lembrando que, quando do fechamento da EEEM, no final de 2017, havia 52 estudantes matriculados.

O ensino médio funciona no período noturno, em um prédio da prefeitura, onde funciona o ensino fundamental durante o dia. “A realidade aqui é de comunidade rural, mesmo. Os jovens já ajudam os pais em casa na atividade rural. Quando fechou, muitos ficaram mesmo sem estudar, porque não conseguiram escola à noite”, declarou o líder comunitário.

“O secretário [Vítor de Angelo, secretário estadual de Educação] falou pra gente conseguir matricular cem alunos, pra conseguir trazer um curso técnico pra cá. Vamos trabalhar pra isso”, diz o presidente da Adecomej, relatando parte da conversa tida com a Sedu na última sexta-feira (29), em reunião na quadra da escola, quando foi anunciada a oferta de 120 vagas para as três series do ensino médio.

Na reunião, participaram também a subsecretária de Planejamento e Avaliação, Isaura Nobre, o prefeito Carlos Brahim Bazzarella (PROS) e o secretário municipal de Educação, Décio Côgo de Aguiar.

 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Comunidade reivindica transporte e currículo agrícola em escola de Águia Branca

Ano letivo começou sem transporte para 100 alunos e sem metade das aulas de agricultura

Secretaria de Educação marca prova do Paebes no Dia da Consciência Negra

Fórum Estadual de Juventude Negra repudia racismo institucional e denuncia desrespeito à Lei 10.639