Vistoria aponta necessidade de ações emergenciais na ponte de Jacaraípe 

Rachaduras, ferrugem exposta, lateral danificada e vergalhões são problemas apontados por engenheiro

A Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa realizou, nesta segunda-feira (18), visita técnica para verificar as condições de duas pontes no município da Serra: a ponte de Jacaraípe e a Floriano Borges, que liga Nova Almeida ao município de Fundão. As duas construções necessitam de manutenção preventiva.

Na primeira visita, ficou constatada a necessidade emergencial de manutenção na ponte de Jacaraípe. “Rachaduras, ferrugem exposta, lateral danificada, vergalhões. A ponte precisa de um projeto sério de manutenção porque com o tempo todos esses problemas tendem a piorar e pode, sim, acabar sendo um risco para quem utiliza todos os dias”, explicou o engenheiro civil Jaime Veiga.

Já na Floriano Borges, que liga Nova Almeida ao município de Fundão, a intervenção necessária na estrutura é mais simples e também mais barata, segundo a avaliação. “A ponte Floriano Borges necessita de poucos reparos. Na verdade, é uma manutenção preventiva para que a estrutura não vá se deteriorando com o tempo”, explicou a presidente do Regional de Engenharia e Agronomia do Estado-ES (Crea-ES), engenheira civil Lúcia Vilarinho.

A  Comissão é presidida pelo deputado Marcelo Santos (PDT) e a demanda foi apresentada pelo deputado Alexandre Xambinho (Rede). A visita contou com representantes do Crea-ES, da Associação Brasileira de Engenheiros Civis (Abenc), além de vereadores e lideranças da comunidade local. 

O deputado Marcelo Santos, presidente da Comissão de Infraestrutura, reforçou a necessidade de uma política de manutenção dos equipamentos públicos porque a situação das duas pontes não é isolada. 

“A comissão está, juntamente com o Crea-ES e a Abenc, fazendo um trabalho para construir uma política de manutenção. Não adianta fazer uma obra, entregar e não ter orçamento ou prioridade para a manutenção. E o caso dessas pontes se repete em várias outras construções, a exemplo da rodoviária de Vitória, da Segunda Ponte e ainda dos terminais rodoviários, que, inclusive, passam por interdição”, explicou o parlamentar.

O presidente ainda acrescentou que o colegiado vai trabalhar de duas formas a partir da visita técnica. A primeira será dialogar com o governo do Estado a partir do relatório das visitas e a segunda será propor uma legislação sobre o tema. “Nós precisamos ter bem definidos responsabilidade, prazos e forma como esse trabalho de manutenção precisa ser feito. E isso é possível a partir de uma legislação estadual. Uma lei que possa ser cumprida e fiscalizada”, destacou o parlamentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.