A 'premiação' do governo para os moradores da região de Anchieta

Casagrande, secretário Fabrício Machado, e diretor-presidente do Iema, Alaimar Fiúza

Desde a ultima semana, a "imprensa preta" vem divulgando de forma eufórica a informação de que “O Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou na ultima sexta-feira (25) a Licença de Operação Corretiva (LOC) da Samarco”. Vem divulgando de forma descomprometida todos os bônus do fato (geração de empregos, impostos e etc.), porém, nenhuma palavra sobre o ônus (poluição, doenças, perda de qualidade de vida, gastos com saúde publica e etc., isto tudo sem citar o CRIME DE MARIANA ainda muito presente no Rio Doce e na vida dos atingidos).

O governador Renato Casagrande esteve presente no evento “festivo” do Copam em Belo Horizonte, mas na sua comitiva não estavam nem o secretário de Meio Ambiente, Fabrício Machado, nem o diretor presidente do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), Alaimar Fiúza, e sim quem deu o apoio em nome do Estado do Espírito Santo foi nada mais nada menos que o secretário de Desenvolvimento, Marcos Kneip Navarro. Podemos ratificar, nesta situação, o real compromisso do governador com o meio ambiente e o desprestigio do secretário de Meio Ambiente.

Não é só da geração de empregos e de impostos que temos que falar, senhor governador. Há muito a ser analisado, debatido e definido antes da retomada das operações da Samarco.

Aproveitamos o momento para falar do esquecido pó preto, que há quase quatro anos os moradores da região de Anchieta aprenderam a viver sem ele, e muito bem, com melhoria na saúde, na qualidade de vida, na economia com despesas médicas, economia de água tratada, e etc..

Senhor governador os números de medições do Iema de poeira sedimentável na região (208 valores de todas as estações) após a parada da Samarco indicam um valor médio de 3,06 g/m2 a cada 30 dias e um desvio padrão de 2,01, direcionando para um Padrão de 5,0 g/m2 a cada 30 dias, atendendo 82,7% dos 208 valores medidos.

Senhor governador, como dizer para estes moradores que com o retorno da Samarco o Padrão de Poeira Sedimentável do Estado estabelecido pelo Decreto 3463-r assinado pelo senhor em 16/12/2013 é de 14 g/m2 a cada 30 dias, 180% superior ao indicativo de padrão das 208 medições na região, e que esta é a premiação do governo para todos os moradores da região?

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.