Kundalini e o Tantra

Algumas respostas para medos irreais sobre energia Kundalini e liberdade tântrica

Tenho recebido e-mails de pessoas diversas, nos quais elas me perguntam sobre o que é energia Kundalini. Outras perguntam-me se o despertar dessa energia é perigoso. Em alguns e-mails, indagam-me se essa energia é de natureza sexual.

Recentemente, um ex-aluno, também por e-mail, relatou-me que fez uma aula de Yoga de linhagem tântrica e que o ministrante disse-lhe que não trabalhava com o despertar de Kundalini e que ele, o meu ex-aluno, estava com os Chakras (centros de energia) desequilibrados, com eneriga Kundalini desviada e que ele não poderia fazer posições de cabeça para baixo (invertida sobre a cabeça – denominada de Sirshasana). Eis minha resposta.

“Olha, quanto à sua experiência com a referida aula e quanto às observações e orientações do ministrante, muita coisa poderia ser dita e poderíamos criar um grande texto sobre essa sua experiência.

Vou tentar ser sucinto.

Inicialmente, há um fato histórico por trás dessa postura desse professor. Há cerca de 15 mil anos, na Índia Antiga, comunidades chamadas de dravidianas foram sendo lideradas por Sadhus (sábios praticantes - não eruditos) em um sentido do despertar da espiritualidade por meio de inúmeras buscas. Entre elas foram se corporificando as técnicas do Yoga Tradicional Indiano ou Yoga Tântrico.

Todo o processo foi sendo desenvolvido de forma intuitiva, afetiva, sem nenhum cunho acadêmico, erudito, racional ou cientificista. Tudo foi sendo criado de forma simples e natural.

Kundalini era algo experimentado com toda a liberdade, sem restrições, sem qualquer ideia de proibição ou de "desvio energético". Não há nenhum registro de proibições nesse sentido. Muito menos por essa energia ter ligação com a energia da sexualidade. 

Dando um salto histórico.

O Yoga Tradicional Indiano se expandiu para o mundo. Chegou ao Mundo Ocidental. Aqui o solo teórico-filosófico era de outra natureza.

Desde a Grécia Antiga que os ocidentais vêm sendo regidos por uma orquestra formada por integrantes com uma visão de mundo empirista, racionalista, cientificista, separativista.

Essa base teórico-filosófica também contamina a visão de mundo de outras formas de arte, como a arte do Yoga (antes tântrico e, agora, de outra natureza – mesmo sendo escolas de natureza tântrica – como a que você visitou). Todas as escolas então corporificadas, principalmente no Ocidente, começaram a "importar" os corolários básicos do Tantra para a sua visão de mundo – ocorrendo o processo de adaptação ou de apropriação sem conexões com a tradição do Hinduísmo dravidiano.

Então, começam a surgir as proibições, as contraindicações e o medo de certos processos, pois, no mundo ocidental, há sempre alguém no poder que dita o que é certo, o que é errado, o que se pode e o que não se pode e as pessoas acostumaram a obedecer e a não refletir ou ter suas próprias convicções e crenças. 

Tudo isto está por trás do poder que a Medicina Alopática e seu aparato teórico-filosófico e prático vêm adquirindo ao longo dos últimos séculos. Isto ocorre também com o poder das ciências no mundo acadêmico das Universidades. Os paradgimas são sempre de autoridade e de obediência e essa forma social/cultural/política contamina tudo, inclusive as escolas de Yoga e seus mestres, aqui nesse nosso mundo.

Os "profissionais" do Yoga e suas escolas e "mestres", inconscientemente, ou por terem pouca conexão com o mundo da Antiga Índia, caem nessas armadilhas: "Cuidado! Perigo! Não faça!".

Estas são expressões presentes na "ciência" (observe este termo - para nós é "cultura", "arte", "filosofia") do Yoga no Ocidente, e não têm nada a ver com o Yoga Tradicional Indiano.

Essas fórmulas de proibição são inerentes à cultura ocidental. Não é do Oriente e muito menos do mundo tântrico hindu.

Ainda há o agravante de que a Kundalini foi sendo associada à energia sexual. Imagina, então, o grande perigo que isto representa para o indivíduo ocidental e cristão! Aliás esse medo de Kundalini tem muito da influência do Cristianismo no Yoga do Ocidente.

Faça invertida todos os dias, só lhe vai trazer alegria e felicidade e muita energia Kundalini em todos os seus Chakras.

Se seus Chakras básicos estiverem desalinhados (se estiverem…), eles serão despertados e alinhados com os Asanas e, principalmente, com o Sirshasana (invertida sobre a cabeça).


Om Shri Shiva! 

Mestre Arnaldo"

 


www.shivamyoga.net
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.