Funcionário da Vale é preso por derrubar barraco sem ordem judicial 

Promotor-geral de Fundão decretou prisão em flagrante por coação e dano qualificado

Um funcionário da mineradora Vale foi preso, na tarde desta quarta-feira (4), por ter obrigada uma família a derrubar o próprio barraco localizado à beira da linha férrea da multinacional na altura do município de Fundão, norte do Estado. Ele não tinha ordem judicial para a “desapropriação” da área e foi autuado e preso em flagrante por ameaça e dano qualificado pelo promotor-geral de Fundão, Egino Rios. Também foi encaminhado ao Departamento de Polícia Judiciária de Aracruz, onde permanecia até o fechamento desta reportagem (o nome não foi divulgado, porque o procedimento ainda não foi concluído). 

De acordo com o promotor-geral de Fundão, Egino Rios, o funcionário da mineradora Vale ocupa o cargo de fiscal de área de domínio, cuja função é fiscalizar a lateral da linha férrea. 

Tal funcionário teria passado a coagir famílias que moram em quatro barracos à margem da estrada férrea sem, contudo, causar qualquer dano ao trânsito de trens ou carro, uma vez que ainda existe uma estrada entre as casas e a linha. Diante da coação, uma das quatro famílias teria ela própria colocado o barraco no chão, e as demais se preparado para tal. 

“Essas famílias estão lá há mais de seis anos sem prejudicar o funcionamento da estrada. Para retirá-las só por meio de uma ordem judicial, o que não existe. Esse funcionário cortou a energia e a água do barraco e por coação obrigou a família a derrubar a própria casa. Eles tiraram as coisas de casa na noite anterior e hoje fizeram a derrubada”, explicou Egino. 

O promotor-geral disse que foi acionado pela Prefeitura de Fundão, que não sabia o que fazer com a nova família desabrigada. “Esse funcionário, além de agir na completa ilegalidade, causou um dano social porque a família não tem pra onde ir e a Prefeitura não sabia para onde levá-la. Caso o delegado estipule uma fiança pelo crime, vou determinar que seja usado para reparar o prejuízo causado à família”. 

 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Iema apresenta Inventário de Fontes de Emissões Atmosféricas da Grande Vitória

Vale aumentou suas emissões em até 300%. Junto com ArcelorMittal, emite mais de 2/3 da poluição

Justiça nega pedido do MPF de arquivamento de ação contra Vale e Arcelor

MPF usou como argumento os termos de compromisso firmados com as poluidoras no governo Hartung

Crime da Vale: 37 mortes confirmadas e ainda 287 desaparecidos

Governo de MG determinou a suspensão das atividades da mineradora em Brumadinho

Futuro diretor-presidente do Iema foi gerente da Vale por trinta anos

Escolhido por Casagrande, Alaimar Fiuza tende a 'manter a supremacia da Vale no ES', criticam ONGs