Dois dias de cinema negro em destaque no Cine Metrópolis

Meu Amigo Fela, de Joel Zito, é um dos mais de vinte filmes exibidos na segunda edição da Mocines

Filmes produzidos por cineastas negros serão destaque no Cine Metrópolis nesta sexta e sábado (29 e 30), quando acontece a segunda edição da Mostra de Cinema Negro no Espírito Santo (Mocines), reunindo mais de 20 produções audiovisuais do Espírito Santo e do Brasil. Os filmes debatem temáticas diversas, desde questões sociais e raciais a religiosidade, sexualidade, infância e até filmes de ação.

Como novidade, o Mocines se divide em três submostras. A primeira delas é a Mostra Erê, que traz quatro filmes de curta-metragem, seguidos de um debate sobre cinema e infâncias negras com Débora Araújo, Bárbara Cazé e Tati Rosa. O cinema infantil feito por cineastas negros, que possa refletir questões importante para crianças, ainda é de produção incipiente, segundo Adriano Monteiro, coordenador do Mocines, que busca assim visibilizar e incentivar esse tipo de produção.

Outra parte do evento será composto pela Mostra Moqueca, que apresenta a produção feita por realizadores negros no Espírito Santo, que tem apresentado um crescimento significativo nos últimos anos, seja via políticas públicas de fomento, seja de maneira independente.

Já a Mostra Nacional apresenta um panorama de produções de diversos estados, com exibição de curta-metragens na sexta-feira e no sábado, incluindo Negrum3, vencedor da Mostra Nacional de Curtas do Festival de Cinema de Vitória em setembro. Ainda serão exibidos dois longa-metragens, fechando cada uma das noites: No Coração do Mundo, de Gabriel Martins e Maurílio Martins, e Meu Amigo Fela, dirigido por Joel Zito Araújo, uma importante referência do cinema negro no Brasil. No documentário, Joel Zito aborda a vida, carreira e pensamento do músico nigeriano Fela Kuti, percursor do afrobeat.

A Mocines pretende se consolidar como uma janela para exibição de cinema negro no Espírito Santo, que ainda não conta com uma mostra permanente nesse sentido, ao contrário de vários estados do Brasil. A primeira edição do evento aconteceu em 2016 com o nome de Mostra de Cinema Negro da Ufes. Mas o cenário mudou rapidamente nos últimos anos, com uma efervescência na produção e na organização política dos cineastas negros no país e no Estado, o que impulsionou uma nova mostra, agora com um nome mais abrangente.

“É inegável que esse novo ciclo de cinema negro é fruto das políticas sociais de educação nos últimos anos, como as políticas de cotas implantadas no governo do PT. É uma nova geração de negros e negras que estão acessando a universidade”, diz Adriano Monteiro. “É diferente das gerações passadas, quando a galera era muito autodidata, aprendia na raça, com a galera ensinando. Hoje a maioria dos cineastas negros tem formação superior ou técnica, além de alguns que são formatos em projetos sociais e culturais que atuam nas periferias”.

Na perspectiva de ampliar a articulação entre os cineastas, a exemplo do que acontece a nível nacional, também será realizado durante o Mocines o Fórum Damballa, puxado pelo coletivo de mesmo nome que busca convidar os profissionais negros do audiovisual capixaba para um momento de reflexão sobre sua inserção no audiovisual do Espírito Santo, acesso aos recursos, políticas de cotas e outros temas de interesse.

AGENDA CULTURAL

II Mocines – Mostra de Cinema Negro no Espírito Santo
Quando:  29 e 30 de novembro
Onde: Cine Metrópolis - Campus da Ufes em Goiabeiras - Avenida Fernando Ferrari - Vitória/ES
Mais informações: https://www.facebook.com/mocinesmostra/

PROGRAMAÇÃO 

SEXTA-FEIRA (29/11)

14h - Mostra Erê
Barco de Papel - Dir.: Thaís Scabio, 2018 - 15 min / FIC
Guri - Dir.: Adriano Monteiro, 2019 - 12 min / FIC
Lily's Hair - Dir.: Raphael Gustavo da Silva, 2019 - 14min / FIC
Fábula de Vó Ita - Dir.: Joyce Prado e Thallita Oshiro, 2016 - 5 min / FIC
15h - Bate-papo: Cinema e infâncias negras 
Convidadas: Profª Dra. Débora Araújo, Bárbara Cazé e Tati Rosa. Mediação: Adriano Monteiro
16h - Mostra Nacional
Rebento - Dir.: Vinícius Eliziário - 2019 - 17 min - FIC
Liberdade - Dir.: Pedro Nishi e Vinícius Silva -  2018 - 24 min / DOC
Afronte - Dir.: Bruno Victor e Marcus de Azevedo, 2017 - 15 min / DOC-FIC 
Amor de Ori - Dir.: Bruna Barros - 2017 - 7 min / FIC
Eu, minha mãe e Wallace - Dir.: Irmãos Carvalho -  2018 - 22 min / FIC
Pele de Monstro - Dir.: Barbara Maria  - 2017 / 21 min / DOC
Rainha - Dir.: Sabrina Fidalgo - 2016 - 30 min / FIC
18h00 - Intervalo 
19h - Exibição de Longa 
No Coração do Mundo - Dir.: Gabriel Martins e Maurílio Martins. Ano: 2019. Duração: 120 min

SÁBADO (30/11)

15h - Fórum Damballa 
A proposta do fórum é reunir profissionais negrxs do audiovisual e discutir/refletir sobre sua inserção no mercado capixaba.
16h30 - Mostra Moqueca
Arquitetura dos que habitam - Dir. Daiana Rocha, 2018 - 5 min. / DOC EXP
Unreal - Dir. Luiz Will Gama, 2018 - 15 min / FIC
Práticas do Absurdo - Dir. Alexander S. Buck, 2019 - 15 min / FIC
Uma Noite de Crime - Dir. Marcelo N. Reis, 2019 - 13 min / FIC
Fala Preta - Dir.: Lavínia Coutinho e Roger Ghil,  2018 - 13 min / DOC
17h30 - Mostra Nacional
Negrum3 - Dir.: Diego Paulino, 2018 - 22 min / DOC
Sem Asas - Dir.: Renata Martins, 2019 - 20 min / FIC
Um ensaio sobre a ausência - Dir.: David Aynan, 2018 - 15 min / FIC
18h30 -  Intervalo
19h -  Exibição de longa 
Meu Amigo Fela - Dir.: Joel Zito Araújo. Ano: 2019. Duração: 92 min.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

O 'rock psicolésbico' cafona de Roberta de Razão

Formada na escola hardcore e punk vilavelhense, Lorena Bonna abraça brega e sofrência em novo projeto

Cineclubes realizam exibição gratuita de Bacurau em Vitória

Na coluna: reforma de edifícios históricos na Prainha, festival de música em Itaoca, Oses contrata músicos

Aldeia Temática de Aracruz lança Plano de Visitação para etnoturismo

Espaço recebe visitantes que queiram conhecer cultura indígena e a Mata Atlântica no Espírito Santo

Coco, afoxé, maracatu e congo no Mucane

Debate, oficinas e apresentações musicais marcam aniversário dos grupos Arakorin e Maracatu Santa Maria